Ação de inclusão digital congrega ensino, pesquisa e extensão!

18/06/2012 – 17:35 – Imprensa UPF
Inclusão digital na medida certa

UPF entregou a entidades computadores com programas que contribuem com o aprendizado de crianças e adolescentes

Computadores foram equipados com programas que atendem a necessidades das instituições
Uma atividade desenvolvida por acadêmicos de Ciência da Computação da Universidade de Passo Fundo (UPF) mostra que o trabalho desses futuros profissionais não se restringe aos realizados em frente às telas. Acompanhados pelo professor Adriano Canabarro Teixeira, os alunos da disciplina de Tecnologias e Metodologias de Inclusão Digital entregaram, na sexta-feira, 15 de junho, 10 microcomputadores ao Lar Emiliano Lopes e ao projeto TransformAção em Arte, ambos de Passo Fundo. Os alunos tiveram a preocupação de entregar as máquinas com programas úteis ao dia-a-dia das crianças e adolescentes, bem como tutoriais para esclarecer dúvidas durante sua utilização.
Conforme o professor Teixeira, a atividade trabalha os diversos aspectos da formação dos estudantes. “Há vinculação entre a disciplina trabalhada em sala de aula, ou seja, o ensino, à pesquisa, por meio do Grupo de Pesquisa e Inclusão Digital (Gepid), e a extensão, característica do projeto Mutirão para a Inclusão Digital”, explicou. Teixeira relatou que a turma foi dividida em grupos, e cada um ficou responsável por uma etapa no processo de preparação dos microcomputadores até a entrega para a comunidade.
A acadêmica Laís Berlatto descreveu que ela e os colegas buscaram as distribuições do sistema operacional Linux que mais se adequassem às máquinas disponíveis. “Optamos pelo Kubuntu, uma versão aprimorada e mais leve do Ubuntu”, afirmou. Os computadores possuem o Kelix (Kit Escola Livre), uma coletânea de softwares gratuitos, principalmente educacionais, desenvolvido na UPF. Para Laís, o diferencial dessa disciplina se deu por desenvolver o aspecto humano. “Valeu a pena, principalmente no sentido da formação profissional na parte humana. Para nós, do 7º semestre, é tranquilo formatar um computador, arrumar as peças. No aspecto humano, porém, precisamos pensar nos integrantes de cada uma das entidades”, considerou.
Partituras na tela do computador
O Lar Emiliano Lopes já possuía alguns computadores, e com a doação da UPF, poderá estender a inclusão digital que promove. “Os equipamentos serão bem úteis ao nosso trabalho. Hoje temos aulas semanais com uma professora voluntária e, com mais esses computadores, será possível atender mais crianças por turma”, afirmou o coordenador da instituição Sérgio Augusto de Oliveira. Uma das principais ferramentas do Lar Emiliano Lopes é a Orquestra Beija Flor. Pensando nisso, os acadêmicos da UPF prepararam os computadores com um programa para ler e editar partituras. O Lar Emiliano Lopes, localizado na Vila Operária, é uma casa de acolhimento social para crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social e atende hoje 22 crianças.
Inclusão digital na Vila Popular
O projeto TransformAção em Arte atende 51 crianças e adolescentes da Vila Popular.
Na instituição, são oferecidas oficinas de percussão, capoeira, dança e pintura em tecido, além de grupos de estudos. Os moradores locais são expostos a diversas situações de vulnerabilidade e, no projeto, encontram valores de cidadania. Agora que recebeu cinco computadores, a inclusão digital chegou ao projeto. “Vamos reprogramar nossa rotina para incluir mais essa atividade”, afirmou a coordenadora do projeto, Irmã Inês Sartori. Evandro Mesquita ministra aulas de capoeira e comentou que até nessa atividade os equipamentos serão úteis. “A maioria dos participantes não têm acesso à era digital, então essa iniciativa pode ajudar até a ensinar capoeira”, relatou. A entidade busca agora acesso também à internet.
Uma creche localizada no Bairro São José também receberá cinco computadores por meio dessa iniciativa do curso de Ciência da Computação, que integra o Instituto de Ciências Exatas e Geociências (Iceg). Além da entrega de telecentros, a disciplina de Tecnologias e Metodologias de Inclusão Digital inclui uma campanha de reciclagem de equipamentos de informática, que deve ser colocada em prática em outubro.
Foto: Carla Vailatti
Fonte: Assessoria de Imprensa UPF
Compartilhe nas redes:
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *