Escola Georgina Rosado recebeu um prêmio especial pela vitória de dois alunos no 1º Campeonato Municipal de Games realizado pelo Senid/UPF

Escola Georgina Rosado recebeu um prêmio especial pela vitória de dois alunos no 1º Campeonato Municipal de Games realizado pelo Senid/UPF

Foto: Caroline Simor

O 1º Campeonato Municipal de Games foi realizado em Passo Fundo, integrando a programação do 1º Seminário Nacional de Inclusão Digital (Senid), organizado pelo Grupo de Estudos e Pesquisa em Inclusão Digital (Gepid) da Universidade de Passo Fundo (UPF). As atividades aconteceram em abril, mas foi na manhã desta segunda-feira (28/05) que a Escola Municipal Georgina Rosado, que teve dois alunos como vencedores da atividade, recebeu uma premiação especial.

De acordo com o professor Adriano Canabarro Teixeira, coordenador do evento, foram quatro meses de seletivas ao campeonato, num trabalho que envolveu aproximadamente 30 escolas municipais e cerca de 600 alunos. Para a final, realizada no dia 17 de abril, 60 adolescentes se classificaram. Eles competiram das 14h às 19h até que os vencedores fossem conhecidos. Pelo regulamento do campeonato, somente se dois alunos da mesma escola ficassem entre os vencedores, o educandário receberia um prêmio especial.

Graças ao trabalho das professoras Maria Marcon Siqueira, Maria Isabel Silveira, Declane Tomé, Fernanda Leão e Ione Ribeiro, os alunos Richard Camargo Nunes e Renato Trindade conquistaram o 1º e 2º lugares respectivamente. A escola recebeu das mãos do patrocinador do evento uma impressora multifuncional.

Para Teixeira, a participação das escolas foi bastante significativa, o que motivou os organizadores a pensar em uma nova competição, envolvendo ainda mais alunos. “Para os alunos até 12 anos, já estamos pensando em um novo campeonato, em que as crianças estarão em sala de aula, utilizando os computadores para programar a partir de um software lúdico e próprio para a idade”, destaca.

Segundo o coordenador, o Senid abre portas para novos trabalhos e desafios nas próprias escolas. “Verificamos que existe um potencial enorme de utilização diferenciada dos laboratórios, não somente para jogar ou navegar na internet, mas também para produzir algo que possa despertar o interesse acadêmico”, observa.

Incentivo além do prêmio

A professora Maria Isabel Silveira acompanhou os alunos na preparação e também nas seletivas. Para ela, o prêmio conquistado pelos garotos e pela escola, é fruto da dedicação, onde o foco foi a superação. “É resultado de um esforço coletivo dos professores e alunos, por meio do incentivo, visto que a escola precisa estar ligada com as novidades e com as tecnologias para motivar cada vez mais os alunos a superarem as dificuldades. Isso prova que o trabalho realizado vale a pena”, ressalta.

Para o jovem Renato Trindade, a participação motivou o interesse em continuar buscando novos desafios na área da informática. “Eu sempre joguei, mas depois do campeonato passei a jogar mais e a ensinar meu irmão em casa. Vou participar dos próximos e quero dar o meu melhor”, afirma.

Também estiveram presentes no ato o professor Marco Trentin, coordenador do curso de Ciência da Computação da UPF, e o empresário Alcindo Buffon, da KLM Informática, patrocinadora do evento.

Compartilhe nas redes:
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *